05 abril 2012

Atitude -CHEGA DE ABUSO !

Oi Moças e toda gente amiga !!!

Quero convida-los a participar dos  encontros semanais que estão rolando no blog IDÉIAS COMPARTILHADAS , toda quarta-feira até  junho, mês do niver do blog . E da BC  Domingo Cultural , Música + Poesia, lá no Felinas. Dêem  um pulinho neles e vejam que blogs legais , conheçam mais gente e iniciativas novas, vocês vão gostar !
A palavra chave da semana é  ATITUDE, proposta pela Sônia . E antes de mostrar o meu texto, gostaria de falar com vocês   sobre a situação da mulher na sociedade, em Março muito falamos sobre ser mulher, inclusive aqui no blog , onde tivemos até uma coluna  que visava homenagea-las, mas a questão é bem mais profunda e dolorida e hoje não trago uma linda imagem com um texto maravilhoso, mas o retrato social e cultural dos nossos tempos : ESTUPRO FÍSICO, MORAL E ESPIRITUAL.Acredito que muitos estão a par da decisão do STJ acerca do caso das 03 meninas de 12 anos .Gente, vamos ventilar essa idéia : ESTUPRO EM QUALQUER SITUAÇÃO É CRIME ! É IMORAL E DESUMANO ! Vamos pensar nas nossas filhas, sobrinhas,amigas, irmãs, tias, mães, qualquer uma delas e nós também corremos o risco, se é que já não o sofremos . Uma criança não arbitra sobre seu corpo, mesmo que de sua boca venham palavras de conssentimento, crianças tem que ser TOTALMENTE PROTEGIDAS . E novamente eu toco o dedo na ferida, como no post  que escrevi em 8/3 , que homens nós temos criado ? Como educamos  nossos meninos sobre a relação HOMEM x MULHER ?
Será que eles ainda ouvem coisas como : "Deu mole tem que comer ".  "Prenda suas cabritas que o meu bode tá solto",e por aí vão muitas outras . Eduquemos nossos  homens com horizontes mais amplos e de onde eles possam enxergar seres humanos .
 Agora  o meu textinho , gente por que deixo bem claro que não sou escritora e participo pelo prazer de inter agir , ok ?


ATITUDE 







"O que aprendemos em nossa infância é decisivo para a  pessoa que iremos nos tranformar e que seguiremos a vida sendo.Ela aprendera que casamento  é pra vida toda e que o marido dever ser respeitado como o chefe da família. Jovem ainda essa mulher, deve ter hoje seus quarenta e dois anos , portando sua história não aconteceu no século passado, muito distante da  Revolução Feminina , tão conclamada .O primeiro tapa na cara foi antes de um ano de casados, em pouco tempo  ele já a puxava pelos cabelos e a possuia a força, mesmo sabendo que como marido  não precisava desses métodos .O próximo passo foi começar a ameça-la com a espingarda  ou dizer que a mataria afogada no riacho que corria atrás de casa . Dois anos de casada, engravidou .Nasceu uma menina linda, e esperava ela em seu coração que o marido se mostrasse mais comedido e menos violento.Não sabia ela que as pessoas cruéis não precisam de motivos pra ferir e por isso não adianta dar-lhes motivos pra parar.Eles não param .Um domingo , ela estava quase feliz, há mais de mês ele não a agredia, fazia o almoço e o bebê já tinha um ano e meio , brincava ao seu redor feliz e sorridente.De repente ouviu um gemido agudo , a criança havia sido golpeada no estômago pelo insano por que tinha  pedido colo ! Num repente pegou a menina e a apertou no peito, tentando tirar a dor e o susto, e naquele momento sentiu uma raiva tão grande e tão intensa , raiva de si mesma . E jurou, com todas as forças do seu ser  , que deixaria aquele homem.Pediu perdão a Deus, se estivesse pecando, mas sua inocente filha não merecia passar por aquilo.Gerou forças dentro de si e foi em frente  , sem estudo, sem emprego e sem família .Lutou, teve  ATITUTE . Foi embora com sua menina , passou de expectadora de seu sofrimento à diretora de sua história ."

Estudei com essa mulher em 2002 sua história é linda e vai muito além dessas simples linhas .
Por Lílian Almeida 

Vem conhecer e participar , vem !



Transcrevi a seguir uma matéria sobre o assunto , espero que leiam com carinho :

  Diga : Não à violência sexual contra meninas e mulheres!

 
Manifestação de Repúdio da Rede Mulher e Mídia e outras entidades – Não à violência sexual contra meninas e mulheres!
As organizações abaixo-assinadas vêm a público manifestar repúdio e indignação em relação à decisão do Superior Tribunal de Justiça recentemente divulgada nos meios de comunicação, que absolveu o acusado de estuprar três meninas de 12 anos de idade.


A decisão da corte superior confirmou o acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo, apresentando como justificativas para inocentar o réu, tais quais:
 "Com efeito, não se pode considerar crime fato que não tenha violado, verdadeiramente, o bem jurídico tutelado – a liberdade sexual –, haja vista constar dos autos que as menores já se prostituíam havia algum tempo”.
A decisão do STJ confirma a do Tribunal de Justiça de São Paulo, repetindo as suas fundamentações:
 "A prova trazida aos autos demonstra, fartamente, que as vítimas, à época dos fatos, lamentavelmente, já estavam longe de serem inocentes, ingênuas, inconscientes e desinformadas a respeito do sexo. Embora imoral e reprovável a conduta praticada pelo réu, não restaram configurados os tipos penais pelos quais foi denunciado”. (TJ/SP)
Importa lembrar que para a configuração do crime de estupro pouco importa eventuais percepções morais sobre a vida sexual das vítimas. O que caracteriza esse crime é eminentemente o não consentimento da vítima com o ato sexual. Nesse sentido, aplicando esta lógica, qualquer menina ou mulher poderia ser estuprada, independentemente do fato de ser casada ou solteira, ter vida sexual ativa ou não, estar envolvida com a prostituição ou não.
 Nesse sentido, as justificativas dos magistrados remontam a um tempo em que as mulheres não tinham direito ou autonomia sobre seu corpo. As mulheres brasileiras não se sentem representadas por estes magistrados, ao revés, repudiam essas manifestações machistas, perversas e discriminatórias que colocam os direitos humanos de meninas e mulheres em risco, ao invés de garanti-los.
Além disso, a lei é clara com relação a menores, caracterizadas como vulneráveis, no texto que segue:
 Estupro de vulnerável
Art. 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos:
 Pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.
§ 1o Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.
Por fim, a decisão também ofende a normativa constitucional e infra-constitucional que prevê a garantia da proteção integral de crianças e adolescentes como responsabilidade de todos: família, sociedade e Estado (art. 227 da Constituição Federal e Estatuto da Criança e do Adolescente). Crianças e adolescentes encontram-se em peculiar processo de desenvolvimento físico mental e psíquico que precisa ser protegido.
Assim, o discurso e a lógica utilizada pelos magistrados do Superior Tribunal de Justiça, responsabilizando as vítimas pela violência sofrida, é absolutamente inaceitável e não pode prevalecer nas cortes do país, em especial em uma de suas mais altas instâncias. Esperamos que este posicionamento seja revisto e que justiça seja feita.

Assinam:
Rede Mulher e Mídia – nacional   Fonte :Aqui

Beijos no coração !!!!!! ♥♥♥♥!
Observação : Tô sem net, por isso estou demorando nos retornos e visitas , ok ?