21 dezembro 2011

Confidência de Natal



Senhor Jesus!...
Vi o Homem Moderno
Em teu Natal,
Recordando viajor a deter-se em caminho,
Ao falar-te sozinho,
Junto de construção descomunal...

Agradeço, Senhor - dizia ele - 
O rio de progresso em que me imundo
De alegria esfuziante,
As maravilhas que enviaste ao mundo
Pelos canais do cérebro triunfante...
Agradeço a ciência de alto nível,
Cintilação do gênio, a servir-me de rastros,
Que me conduz ao colo de outros astros,
No foguete de força quase incrível;

Agradeço o avião, o carro, o asfalto,
O mundo todo em casa, a circuito instantâneo,
O átomo cativo, as usinas de urânio,
O soro, a anestesia, o antígeno, o cobalto,
As máquinas de espécie diferente,
Desde o computador à enceradeira,
Que estendem reconforto à Terra inteira,
Impulsionando os povos para frente!...

Agradeço o auto-estudo  a que me elevas
A fim de imunizar-me
Contra o assalto das trevas.

Entretanto, Senhor, ao procurar-te em prece,
Que o sentimento forma e a palavra não diz, 
Minha vida te busca e te deseja...
Guarda e inspira minhalma, enfim, para que eu seja
Plenamente feliz...

Nisso, o Homem calou-se em pranto mudo 
E entendi, afinal,
Que embora a inteligência brilhe em tudo
E em quase tudo se engrandeça embora,
Eis que sem ti, Senhor,
O coração da Terra sofre e chora,
Entre a fome de paz e carência de amor!...

(Maria Dolores)